quarta-feira, 30 de maio de 2012

Poesia de Álvaro de Campos

"Ah, as horas indecisas em que a minha vida parece de um outro...
As horas do crepúsculo no terraço dos cafés cosmopolitas!
Na hora de olhos húmidos em que se acendem as luzes
E o cansaço sabe vagamente a uma febre passada."

domingo, 6 de maio de 2012

"Mãe, cada palavra que me ensinaste repete mil vezes o teu nome."
                                                                       
                                                                        José Luís Peixoto 
                                                                          in A Casa, a Escuridão

Mãe.


Havia tanto para dizer  mas são palavras que se me calam porque atingem outro plano, outra dimensão quase transcendente. 
Mãe…é o sentir, o respirar e o ser.

sábado, 5 de maio de 2012

Super Lua

 Noite de Super Lua.
 Sentada de pernas à chinês, a folhear livros com pó e com o cheiro a poemas antigos que a cada passo merecem ser lidos e tocados como se fosse a primeira vez.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

O mundo?

O nosso mundo
                                                  (...)
Que importa o mundo e as ilusões defuntas?
Que importa o mundo e seus orgulhos vãos?
O mundo, Amor? ...As nossas bocas juntas!


Florbela Espanca

terça-feira, 1 de maio de 2012

Prazeres da vida


Às vezes basta-me um livro, um copo de vinho ou ter flores em casa. E é tudo!